Páginas

Translate

*Saudades de mãe...



* Esse texto é da Tereza Cristina Flordecaju, nossa amiga,que fala das suas saudades e lembranças. É lindo, comovente e vão gostar! beijos,chica


Na varanda à tarde
 Alguns momentos nos marcam para sempre, o voo de um pássaro no desabrochar da manhã, os primeiros passos dos filhos, o primeiro namorado, entre tantas boas lembranças. Sempre ao cair da tarde, sentada em minha preguiçosa, fico a olhar dentro de mim desses momentos.




Ainda era cedo, os galos no alto das cercas de madeira cantavam em tom jovial ao dia e os meninos corriam debaixo de umbuzeiro antigo carregado de frutos maduros.

No poço, situado a cinco metros da casa, eu puxava numa gangorra cuidadosamente um pouco de água, devido à escassez desta. Não poderia baldear, pois assim não serviria para colocar no pote e beber. Meus sentidos eram todos centrados nesse serviço. Conhecedores dessa realidade, os meninos olharam.


_Mãe, quando a gente vai ter água na torneira aqui em casa? _ Perguntou-me o menor.


Abrindo um sorriso e o coração apertado, falei olhando bem nos olhos dele:


_Quando o papai arrumar um emprego, meu filho ou a mamãe passar no concurso que fez. No momento, temos de agradecer a Deus por termos ainda esse poço...


Não precisei continuar com a explicação; ele meu um sorriso tão compreensivo que algumas lágrimas me desceram nas faces. As três meninas, uma delas com a caçula no colo, achegaram a minhas pernas.


_ Mãe, eu sei que a senhora vai passar no concurso de professora. Aí nossa vida vau mudar e vamos poder ir para a cidade. A senhora não vai mais precisar ficar carregando lata d’água na cabeça. Não é, mãzinha?


Senti que me encolhia por dentro, profundas foram as palavras de minha filha mais velha.


Enquanto eu conservar no peito essas lembranças, não terei por que ficar me sentindo assim tão só, com as meninas agora na universidade na cidade grande.

Fui a primeira professora delas e lembrar-me do be-a-bá da cartilha de ensino me soa como um hino da educação.

 Sei que os pássaros alçam voo do ninho. O bom é saber que voltam à tarde.

Estarei aqui nesta preguiçosa ouvindo as histórias delas e suas conquistas; e como toda mãe do interior farei aquela galinha caipira no domingo!


Teresa Cristina flordecaju

8 comentários:

  1. Excelente, lembranças de sua amiga Chica.
    Mãe, a primeia mestra. A Professora, a segunda mestra. Ambas sempre devem ser reverênciadas.
    Lindo post.
    Forte abraço querida amiga, para os próximos dias até o final de semana que todos sejam abençoados.

    Hod.

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente de cair rios de lágrimas!Lindo demais!Parabéns á vc e a Teresa!Bjs,

    ResponderExcluir
  3. Lindo demais, estou a beira das lágrimas!
    As lembranças dela fazem parte da história real de muitas mães brasileiras, espero que todas possam ter lembranças como esta.
    Obrigada querida por estar comigo no meu aniversário. Obrigada pelas palavras e pelo carinho.
    Beijo na alma e tenha uma semana de muita luz...

    ResponderExcluir
  4. E eu então?.. Hoje estou muito chorosa e ainda lendo esse texto...
    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  5. Oh, minha amiga Chica!! Quão bom é estar aqui contigo e com amigos... Um cheiro nesse teu coração tão meigo! Sempre! Teresa.

    ResponderExcluir
  6. Não gostei, adorei! que encanto!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Olá Chica!! Q texto lindo e sábio, não tem como não se emocionar lendo... adorei!!

    Bjoss e ótima semana

    Aproveito e te convido a visitar meus blogs:
    www.criatividadeenostalgia.blogspot.com
    www.vieouviporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Na verdade, penso que a mãe tenha sido a professora delas bem antes de ser a professora deles...

    Fique com Deus, menina Chica.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Que bom ver vocês por aqui!beijos,chica