Páginas

Translate

Pessoas que tem cores lindas...(Florcaju


Aqui, um poema, depoimento de uma mulher amiga, forte, garrenta,que não se deixa abater e coloca cores em sia vida ainda que as águas levem todas as suas coisas nas enchentes...Vejam o exempli e a beleza das cores em suas palavras.(chica)



A volta


Voltei! Diz meu coração a meus olhos...


E uma felicidade corre-me na pele... Molhando-me os olhos!

Meu lábio inferior- tal em uma menina - treme.

Que se fala nessas horas?

“Cheguei em frente ao portão....”

Ah, meu cachorro correu solto na varanda, abanando o rabo.... Ele está feliz!Coloquei os olhos nas palhas da palmeira- ainda está aqui!

As águas maltrataram-na, mas ela continua firme, como eu, após a volta



(Porém, sei, outras enchentes virão! Terei forças para ver novamente as águas entrarem cidade adentro na calada da noite?).



Como é bom estar em casa!



As conversas das crianças ainda estão presas nas paredes...



Sinto quando recoloco os retratos nos mesmos lugares.



A mesa da cozinha pede que eu corte a carne ou faça um café...



Chamando os meninos à mesa.



O cajueiro – com alguns galhos cortados – pede com urgência que eu admire suas flores e sonhe com a safra que logo, logo virá...



Estendo à tardinha minha rede na varanda olhando as borboletas pousarem nas flores silvestres que restaram...



Recordo do sol pela manhã namorando suas pétalas e uma lagartixa que sempre descansava em cima do muro... Ela voltará... (Eu voltei!)...



Observo as estrelas ao cair da tarde e espero a lua...



Há uma viagem que preciso fazer de volta –



Às noites em que eu sonhava de minha janela e ouvia a serenata lá no fundo do sertão – a mulher que dizia a vida ser simples ainda tem a mesma alma de antes e quer sentar na poltrona a ela reservada para viajar na poesia...



Aqui é meu sertão... Minha casa.



Estou de volta!



A todos –as horas quase morrendo - “Um lindo fim de dia...”




Teresa Cristina


Flor de caju